SOBRE     |     FALE CONOSCO

GERAL

Mais um dia difícil para passageiros que dependem do transporte público entre SFI e Campos

POSTADO EM 27/02/2018 19:03:00 POR: VNOTÍCIA
Início de uma manifestação na RJ-224 e táxis apreendidos (Fotos: divulgação)
Início de uma manifestação na RJ-224 e táxis apreendidos (Fotos: divulgação)

 

 

Os usuários do transporte de passageiros da linha São Francisco de Itabapoana (SFI) a Campos tiveram de ter muita paciência para terem o direito de se locomoverem com o transporte público nesta terça-feira, 27.

 

Mais uma fiscalização do Departamento de Transportes Rodoviários do Estado do Rio de Janeiro (Detro-RJ) impediu o transporte de passageiros com carros de passeio e vans que não são permissionados pelo órgão. O resultado foi um número grande de passageiros que ficaram sem o transporte habitual e a mercê de poucos carros legalizados.

 

Os poucos ônibus que ainda estão rodando e as duas únicas vans legalizadas pelo Detro não atendem à demanda da linha. A reportagem do VNOTÍCIA ligou para o guichê da Viação Brasil, na Rodoviária Roberto Silveira, e um funcionário informou que há ônibus apenas em três horários diários de Campos para SFI: 7h, 14h30 e 18h30.

 

E o problema é maior na volta pra São Francisco, pois os táxis estão proibidos de retornarem com passageiros. No momento há a permissão apenas para que os taxistas levem passageiros para Campos. Por isso os taxistas estão cobrando de cada passageiro o valor de R$ 15 a ida para Campos, quando o habitual era R$ 10. Um taxista ouvido pelo VNOTÍCIA disse que esse foi o único jeito de continuar fazendo a chamada corrida compartilhada, pelo menos de SFI para Campos, caso contrário o taxista terá prejuízo, pois tem de voltar com o carro vazio.

 

Sobre os taxistas, a prefeita Francimara e a procuradora do município, Elisa Abud, tentam um termo de cooperação técnica com o município de Campos para o embarque de passageiros na volta, o que daria mais uma opção à linha intermunicipal. Os taxistas de São Francisco de Itabapoana se reuniram no último dia 21 com a prefeita Francimara para buscar o apoio do município.

 

Entretanto, nesta terça-feira, 27, durante uma fiscalização, o Detro apreendeu dois táxis que estariam vindo de Campos para SFI com passageiros. Os carros foram rebocados.

 

À tarde motoristas de lotadas tipo Doblò e Van iniciaram uma manifestação na RJ-224, próximo a Floresta, com pneus queimados para protestar contra a fiscalização. O BPRV pediu que parasse a manifestação. Os manifestantes atenderam e não chegaram a fechar a rodovia. No final da tarde eles organizaram uma carreata pedindo o fim da fiscalização e a legalização dos carros.

 

O VNOTÍCIA entrou em contato com o Detro. Segundo a Assessoria de Comunicação, o órgão disponibiliza ao usuário vários canais da ouvidoria para reclamações. Ainda de acordo com a Assessoria, o órgão estuda abrir uma nova licitação para mais linhas para o trecho Campos-São Francisco, mas que antes irá realizar um estudo de viabilidade.

 

O VNOTÍCIA sugere que os cidadãos de São Francisco de Itabapoana participem e mandem suas reclamações ao Detro, cobrando uma solução para o transporte de passageiros na linha SFI-Campos-SFI. Veja mais detalhes de como reclamar, na nota enviada pelo órgão ao VNOTÍCIA:

 

“O Detro informa que realiza fiscalizações rotineiramente na região, para que os passageiros tenham um transporte de qualidade. Os usuários podem solicitar modificações no quadro de horários dos ônibus da região, enviando um e-mail para a Ouvidoria do Detro pelo endereço ouvidoria@detro.rj.gov.br. As prefeituras dos municípios envolvidos e associações de moradores também podem realizar o pedido junto ao Detro. Com relação ao aumento no número de vans legalizadas, é necessário um estudo de viabilidade e uma nova licitação. Além do e-mail da Ouvidoria, os usuários podem encaminhar reclamações pelo telefone (21) 3883-4141, pelo WhatsApp Fale Detro (21) 98596-8545 ou diretamente no posto do Detro, no Terminal Rodoviário Shopping Estrada, em Campos dos Goytacazes”, disse a nota.

 

É preciso mais respeito com o passageiro, que no meio desse fogo cruzado entre fiscalização, carros de passeio, vans, táxis e ônibus fica sem o básico, o direito de se locomoverem entre Campos e São Francisco em um transporte que lhes dê tranquilidade para ir e saber que voltará pra casa.

 

 

Leia mais em GERAL