SOBRE     |     FALE CONOSCO

POLÍTICA

Urnas eletrônicas de SFI são inseminadas e auditadas para o segundo turno

Juiz e promotor acompanharam trabalho no Polo da Justiça Eleitoral em Campos

POSTADO EM 18/10/2018 02:12:00 POR: VNOTÍCIA

 

As 116 urnas eletrônicas que foram usadas no primeiro turno das eleições em São Francisco de Itabapoana passaram novamente pelo processo de inseminação de dados dos candidatos que irão participar da disputa do segundo turno.

 

O trabalho, que é feitos por técnicos da Justiça Eleitoral, aconteceu durante a manhã desta quarta-feira, 17, no Polo da Justiça Eleitoral que está funcionando no Instituto Federal Fluminense, em Campos. Estiveram presentes acompanhando o procedimento o juiz eleitoral que preside as eleições em SFI, Alexandre Rodrigues de Oliveira, o promotor Sérgio Ricardo Fonseca, o chefe do Cartório Eleitoral Jorge Louback e funcionários da Justiça Eleitoral de SFi.

 

Ao final da inseminação o trabalho foi concluído com uma auditoria nas urnas. Foram escolhidas duas urnas para serem auditadas. A auditoria é um procedimento de praxe após a inseminação, em que é simulada uma eleição em duas urnas escolhidas por sorteio. Na oportunidade foram verificados os números dos candidatos e o funcionamento da urna. Na auditoria tudo funcionou perfeitamente.

 

“Todos os dados dos candidatos são gerados para um pen drive no Cartório Eleitoral. Após essa geração, a Polícia Militar nos escolta com esse dispositivo até o polo onde estão as urnas. E com esses pen drives as urnas são inseminadas. Após esse procedimento, a urna recebe um selo e um lacre da Justiça Eleitoral que leva a assinatura do Promotor e do Juiz”, explicou Jorge Louback.

 

“É importante ressaltar que as urnas são seguras e todo o trabalho da Justiça Eleitoral, desde a inseminação, auditoria, votação, apuração e recolhimento das urnas é acompanhado pelo Ministério Público Eleitoral. As pessoas podem ir votar com tranquilidade, pois o processo todo é bem avançado e evoluído, e a vontade do eleitor manifestada nas urnas não será manipulada”, disse o promotor Sérgio Ricardo.

 

Sobre as notícias falsas que circularam nas redes sociais, de que eleitores digitavam um número e aparecia a foto de outro candidato ou aparecia voto nulo, o promotor acredita que isso foi muito em função das dificuldades do eleitor com a quantidade de candidatos (seis no total) que se votou no primeiro turno.

 

“O que nós verificamos foi que muitas pessoas tentavam votar para presidente enquanto a tela ainda exibia o voto para outro cargo, sendo assim a foto do candidato a qual o eleitor tentava dar seu voto não aparecia, mas o erro estava no eleitor, em não se atentar para a sequência de votação. Acreditamos que o segundo turno será mais tranquilo, pois são em apenas dois candidatos que o cidadão irá votar”, concluiu o promotor.

 

 


 
 

 


 

Leia mais em POLÍTICA