SOBRE     |     FALE CONOSCO

GERAL

Quatro pessoas detidas furtando aroeira em lavoura cultivada na Fazenda Lucahê

POSTADO EM 20/05/2019 16:43:00 POR: VNOTÍCIA

 

Quatro pessoas foram detidas na tarde deste domingo, 19, após um flagrante de furto de aroeira numa lavoura particular na Fazenda Lucahê, em São Francisco de Itabapoana.

 

Em entrevista ao VNOTÍCIA, o gerente da fazenda, Marcos Antônio Guimarães disse que por volta das 16 horas chegou a informação de que um grupo havia invadido a propriedade para retirar de forma clandestina a aroeira.

 

“Fomos até a lavoura e demos o flagrante. Alguns fugiram e outras quatro pessoas ficaram no local. Chamamos a Polícia Militar e solicitamos que eles apresentassem documentos. Como não temos força de Polícia para mantê-los presos no local, eles conseguiram se evadir, deixando pra trás vários objetos como caixas, bacias, lonas e até lanche que levaram para o local”, disse o gerente.

 

O gerente reuniu todos os objetos que comprovassem o furto e compareceu à 147ª Delegacia Legal de São Francisco de Itabapoana para registrar o fato.

 

“Ao chegar na Delegacia veio a perplexidade. Lá encontramos as mesmas pessoas que haviam invadido nossa propriedade, nos acusando de terem retido os documentos deles e que teríamos coibido eles a nos roubar, numa tentativa de se fazerem de vítimas, quando na verdade nós somos vítimas. Felizmente a Polícia Civil não entrou nessa conversa e eles foram autuados pelo furto e invasão de propriedade”, disse Marcos.

 

O flagrante foi registrado na Delegacia de Campos, responsável pela central de flagrantes do fim de semana. “Saímos da delegacia já era de madrugada, sendo que o grupo permaneceu lá. Lamentamos esses furtos e conclamomos a todos os produtores rurais de nosso município para que não se calem diante dos prejuízos que ladrões estão causando ao agronegócio de nossa cidade. Devemos denunciar e registrar esses furtos”, alerta Marcos.

 

Ainda de acordo com Marcos, as pessoas flagradas cometendo o furto não têm carteirinha de catador oficial de aroeira. Mesmo se tivessem, estariam incorrendo no crime de furto. “Nossa lavoura de aroeira não é de origem nativa, ou seja, foi cultivada com plantação, adubação e manejo. Devido a essas técnicas empregadas, a produtividade é maior. Portanto, gastamos tempo e dinheiro para plantar aroeira e vem pessoas inescrupulosas, ladrões, e fazem isso que fizeram”, lamenta Marcos.

 

O furto acontece dois meses após ladrões invadirem a mesma fazenda para furtar mourões de uma lavoura de pimenta do reino, como mostrado aqui pelo VNOTÍCIA.

 

Catação da aroeira no município

 

Desde 2017, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente de São Francisco de Itabapoana se reuniu com o Inea – Instituto Estadual do Ambiente – e deu início ao cadastro dos catadores que atuam na extração de aroeira de árvores nativas, ou seja, não cultivadas.

 

Desde então, catadores passaram a trabalhar de maneira legal, desde que respeitassem as orientações para uma colheita consciente, que são: autorização para a colheita do proprietário de áreas onde se encontram as árvores nativas, retirada apenas de ramos secundários das árvores, que sejam mantidos 30% dos frutos na árvore para alimentação de animais silvestres, como pássaros e que forneçam apenas para empresas autorizadas pelo Inea a comercializar aroeira.

 

Segundo Marcos, a Lucahê é uma dessas empresas, que também está autorizada a receber esses frutos de catadores oficiais. A outra empresa que também está credenciada é a Agrorosa.

 

Emprego na indústria de cosmético e de alimentos

 

Fruto de alto valor comercial, a aroeira é usada como matéria prima para as indústrias de cosméticos, farmacêuticas, de alimentos e condimentos. Muitas aroeiras do Brasil são comercializadas para fora do país.

 

Entre as novidades, segundo informações dos pesquisadores Alisson Andrade Almeida e João Paulo Viana Leite, no artigo "A Hora e a vez da Aroeirinha", o óleo essencial extraído da semente da aroeira tem ação antimicrobiana contra vários tipos de bactérias, fungos e vírus, além de atividade repelente contra a mosca doméstica.

 

Externamente, o óleo essencial é utilizado na forma de loções, géis e sabonetes, indicado para a limpeza de pele, coceira, acne, manchas, antissepsia de ferimentos, micoses e para o banho.

 

A forte ação antioxidante de extratos da aroeira tem chamado a atenção da indústria de cosmético, que a utiliza principalmente em formulações para a proteção da pele.  O óleo essencial, pela sua fragrância, também é altamente apreciado pela indústria de perfumes.

 

 

Leia mais em GERAL